Libélula

Libélula
Muito rápidas, as libélulas são belos insetos.

Segundo a Wikipédia: A libélula (do termo latino libellula), também conhecida como tira-olhos ou libelinha em Portugal e como lavadeira ou jacinta no Brasil, é um insecto alado pertencente à subordem Anisoptera.

No Brasil, existem cerca de 1 200 espécies de um total 5 000 existentes no mundo. É predadora de insetos, inclusive do Aedes aegypti, e até de pequenos peixes. Em um único dia, pode consumir outros insectos voadores até a marca de 14% do seu próprio pesoː pode consumir cerca de 600 deles num único período de 24 horas.

Taturanas

Conhecidas como Taturanas, Lagartas de fogo ou madruvás, estas pertencem a família Saturniidae.

Estas lagartas da ordem dos Lepidópteros possuem em suas costas espinhos, “pinheirinhos” ramificados e pontiagudos.
Nesses espinhos é que se localizam as glândulas de veneno.
Ao entrar em contato com estes espinhos, eles se quebram e liberam o líquido tóxico.

Nesta família se inclui o gênero Lonomia, uma espécie causadora de muitos acidentes. E dependendo de sua gravidade, podem ser fatais.

Aqui mostrarei duas lagartas que encontrei em dias diferentes.
Ambas possuem os tais pinheirinhos.
Na dúvida, só as observe a uma distância segura! Nunca as pegue com as mãos!

Lagarta da espécie Saturniidae, verde
Saturnídeo

Saturnídeo

Saturnídeo

Lagarta da espécie Saturniidae, preta e vermelha
Saturnídeo

Saturnídeo

Saturnídeo

Saturnídeo

Saturnídeo

Hilídeos – Pererecas

Hylidae é uma família de rãs selvagens comumente referidas como Pererecas, rainetas ou relas. No entanto,  incluem uma diversidade de espécies de “sapos”, muitos dos quais não vivem em árvores, mas são terrestres ou semi-aquáticos.

De pequeno porte, caracterizam-se pelos dedos terminados em ventosa, que lhe permitem prender-se a superfícies verticais. São dotadas de membranas elásticas, localizadas entre os dedos e podem realizar vôos de quase dois metros.

A maioria dos hilídeos mostram adaptações adequadas para um estilo de vida arbórea, incluindo olhos na frente fornecendo uma visão binocular, e almofadas adesivas nas patas dianteiras e traseiras.

Importante lembrar que as pererecas, assim como sapos e rãs, estão sendo banidos devido alterações e destruição de seu habitat e, apesar de causarem certo nojo e pavor, são indicadores de um meio ambiente saudável.

Esta rela estava coaxando próximo a janela de onde eu estava. Saí correndo, peguei a câmera nova e a fotografei.
Ela estava em cima de uma casinha que construímos para colocar alpiste para os pássaros. Até essa foto, NENHUM pássaro pousou nela. Esta visitante de olhar profundo foi a primeira a estrear.
Um flash e um disparo foram suficientes para registrar esse momento. Logo em seguida apaguei as luzes e a deixei a vontade para voltar “cantarolar”.

Perereca


Fonte: Wikipédia – Hylidae

Anuros – Sapos, rãs, pererecas

Os anuros (latim científico: Anura) constituem uma ordem de animais pertencentes à classe Amphibia, que inclui sapos, rãs e pererecas (ou relas). Ainda que se possam estabelecer algumas diferenças entre sapos e rãs, estas diferenças não são utilizadas pelos cientistas na sua classificação.
O seu nome vem do grego, significando sem cauda (an-, sem + oura, cauda).

A maioria dos anuros são caracterizados por longas patas posteriores, corpo curto, membranas interdigitais (nos dedos das mãos ou dos pés), olhos protuberantes e a ausência de cauda. A maioria das rãs tem um estilo de vida semi-aquático, mas move-se facilmente em terra saltando ou escalando.
Tipicamente, depositam os seus ovos em poças de água, charcos ou lagos, e as suas larvas, chamadas de girinos, têm guelras e desenvolvem-se na água.

A ordem Anura contém 4 810 espécies em 33 famílias, das quais Leptodactylidae (1100 spp.), Hylidae (800 spp.) e Ranidae (750 spp.) são as mais ricas em número de espécies. Cerca de 88% das espécies de anfíbios são rãs.

O uso dos nomes comuns e sapo não tem base taxonómica.
De uma perspectiva taxonômica, todos os membros da ordem Anura são rãs, mas apenas os membros da família Bufonidae são considerados “sapos verdadeiros”. O uso do termo “rã” em nomes comuns refere-se normalmente a espécies que são aquáticas ou semi-aquáticas com peles macias e/ou húmida, e o termo “sapo” refere-se normalmente a espécies tendencialmente terrestres com pele seca e rugosa. Uma exceção é o sapo-de-barriga-de-fogo: enquanto que a sua pele é ligeiramente rugosa, prefere habitats húmidos.

Lagartas

Estas lagartas aparecem sempre aqui numa espécie de trepadeira de folhas brilhantes.
É fácil perceber que há uma lagarta dessas por perto, pois o chão fica cheio de pequenas bolinhas, que são suas fezes. Além das folhas recortadas.

Lagarta

Lagarta

Aqui, para vocês terem uma noção do tamanho que ela pode atingir. E esta ainda não é a maior que já apareceu por aqui!
Comparem com o tamanho do meu polegar:

Lagarta