Lagarta avermelhada

Encontrei outro dia esta lagarta. Seus pêlos são bastante longos.
Sua aparência “fofa” pode esconder alguns espinhos na base dos pelos, e neles, glândulas de substâncias tóxicas.
Por isso é tão importante manter certa distância ao apreciar estes insetos!
Este tipo de lagarta, é o estágio larval da mariposa.
Conhecida como Taturana, tatarana (do tupi tata = “fogo” e rana = “semelhante”) ou ainda lagarta de fogo.

Lagarta avermelhada

Lagarta avermelhada

Lagarta avermelhada

Lagarta avermelhada

Lagarta avermelhada

Taturanas

Conhecidas como Taturanas, Lagartas de fogo ou madruvás, estas pertencem a família Saturniidae.

Estas lagartas da ordem dos Lepidópteros possuem em suas costas espinhos, “pinheirinhos” ramificados e pontiagudos.
Nesses espinhos é que se localizam as glândulas de veneno.
Ao entrar em contato com estes espinhos, eles se quebram e liberam o líquido tóxico.

Nesta família se inclui o gênero Lonomia, uma espécie causadora de muitos acidentes. E dependendo de sua gravidade, podem ser fatais.

Aqui mostrarei duas lagartas que encontrei em dias diferentes.
Ambas possuem os tais pinheirinhos.
Na dúvida, só as observe a uma distância segura! Nunca as pegue com as mãos!

Lagarta da espécie Saturniidae, verde
Saturnídeo

Saturnídeo

Saturnídeo

Lagarta da espécie Saturniidae, preta e vermelha
Saturnídeo

Saturnídeo

Saturnídeo

Saturnídeo

Saturnídeo

Lagartas

Estas lagartas aparecem sempre aqui numa espécie de trepadeira de folhas brilhantes.
É fácil perceber que há uma lagarta dessas por perto, pois o chão fica cheio de pequenas bolinhas, que são suas fezes. Além das folhas recortadas.

Lagarta

Lagarta

Aqui, para vocês terem uma noção do tamanho que ela pode atingir. E esta ainda não é a maior que já apareceu por aqui!
Comparem com o tamanho do meu polegar:

Lagarta

Borboleta Monarca

A borboleta-monarca (Danaus plexippus) é uma borboleta da família dos ninfalídeos, da subfamília dos danaíneos, de ampla distribuição nas Américas.
Tais borboletas têm cerca de 70 mm de envergadura, asas laranjas com listras pretas e marcas brancas.
A população estadunidense dessas borboletas concentra-se aos milhões para realizar migrações regulares. Há indícios de que a espécie poderá estar colonizando o sul de Portugal.

A Borboleta Monarca começa a sua vida como um ovo posto por uma fêmea adulta numa folha de planta de serralha, Asclepias syriaca. É do tamanho da cabeça de um alfinete quando o ovo choca, 3 a 12 dias depois, a pequena larva ou lagarta com riscas brancas, amarelas e pretas, tem oito pares de pernas curtas para trepar e partes da boca desenhadas para mastigar folhas.
Mas somente folhas das plantas de serralha, mais nenhuma, como a planta de serralha tem uma seiva branca e pegajosa que é altamente tóxica para os outros animais, mas não afetam em nada a lagarta, apenas tornando seu corpo altamente tóxico para os predadores, como pássaros.

Borboleta Monarca.

Esta borboleta pousou no chão e logo corri para pegar a câmera. Nem precisava correr.
Ela pousou ali por alguns minutos e permitiu que eu a fotografasse de todos os ângulos.

Registrei suas cores fortes e ao mesmo tempo delicadas, parece que escolhidas a dedo por ela.
Os traços pretos e marcantes, o sombreado branco suave, suas pintinhas por toda a borda de suas asas.
Uma delicadeza tão grande, que até consegui que pousasse em minha mão esquerda, para minha surpresa.
Foi o momento mais bonito que vivenciei no Meu Quintal. Ela abria e fechava suas asas lentamente, e quase não se movia. Parecia entender que estava sendo fotografada.
Emprestou sua beleza para eu colorir esta página do blog, que estou compartilhando com vocês!

Borboleta Monarca.

Borboleta Monarca.

Borboleta Monarca.

Taturanas

As Taturanas (tata=fogo; rana=semelhante) são insetos na fase larval, pertencentes à Ordem dos Lepidópteros (borboletas e mariposas). Muitas famílias formam esta Ordem e poucas causam problemas ao homem. No Brasil algumas famílias são responsáveis por acidentes urticantes, sendo as mais importantes Megalopigídeos e Saturnídeos.
Apesar de causarem acidentes elas têm papel fundamental na Natureza e merecem ser respeitadas.
Evite matá-las e para evitar acidentes, aprecie sua beleza de longe!