Borboleta Monarca

A borboleta-monarca (Danaus plexippus) é uma borboleta da família dos ninfalídeos, da subfamília dos danaíneos, de ampla distribuição nas Américas.
Tais borboletas têm cerca de 70 mm de envergadura, asas laranjas com listras pretas e marcas brancas.
A população estadunidense dessas borboletas concentra-se aos milhões para realizar migrações regulares. Há indícios de que a espécie poderá estar colonizando o sul de Portugal.

A Borboleta Monarca começa a sua vida como um ovo posto por uma fêmea adulta numa folha de planta de serralha, Asclepias syriaca. É do tamanho da cabeça de um alfinete quando o ovo choca, 3 a 12 dias depois, a pequena larva ou lagarta com riscas brancas, amarelas e pretas, tem oito pares de pernas curtas para trepar e partes da boca desenhadas para mastigar folhas.
Mas somente folhas das plantas de serralha, mais nenhuma, como a planta de serralha tem uma seiva branca e pegajosa que é altamente tóxica para os outros animais, mas não afetam em nada a lagarta, apenas tornando seu corpo altamente tóxico para os predadores, como pássaros.

Borboleta Monarca.

Esta borboleta pousou no chão e logo corri para pegar a câmera. Nem precisava correr.
Ela pousou ali por alguns minutos e permitiu que eu a fotografasse de todos os ângulos.

Registrei suas cores fortes e ao mesmo tempo delicadas, parece que escolhidas a dedo por ela.
Os traços pretos e marcantes, o sombreado branco suave, suas pintinhas por toda a borda de suas asas.
Uma delicadeza tão grande, que até consegui que pousasse em minha mão esquerda, para minha surpresa.
Foi o momento mais bonito que vivenciei no Meu Quintal. Ela abria e fechava suas asas lentamente, e quase não se movia. Parecia entender que estava sendo fotografada.
Emprestou sua beleza para eu colorir esta página do blog, que estou compartilhando com vocês!

Borboleta Monarca.

Borboleta Monarca.

Borboleta Monarca.

Bicho-folha

O termo Bicho-folha é a designação comum aos insetos fasmatódeos (explico de forma fácil mais abaixo!) e aos ortópteros, que reúnem espécies que imitam folhas. A camuflagem atinge o máximo em espécies que simulam, com riqueza de detalhes, folhas que parecem ter sido parcialmente roídas por insetos ou se encontram manchadas por fungos. Também são conhecidos pelo nome de Esperança-folha.

Bicho-folha

Os insetos da ordem Phasmatodea são conhecidos como bicho-pau e bicho-folha, por sua eficiente camuflagem que os tornam semelhantes a pedaços de madeira ou a folhas, disfarçando-os em meio a vegetação. São animais inofensivos, e nas cidades podem ser encontrados em goiabeiras. A fêmea do bicho-pau põe cerca de 150 ovos.

Morango silvestre

Amora-vermelha, Framboesa ou Morango silvestre é o pseudofruto de Rubus rosifolius Sm., uma planta nativa do Brasil, do grupo das amoras. Pequeno arbusto de, no máximo, 1,50 m de altura. Forma amplas touceiras.

É facilmente reconhecível pelos espinhos no caule e nas folhas e pela folhagem bastante recortada. As flores são brancas. Os “frutos” são bolinhas vermelhas e ocas, bastante frágeis. É comum nas regiões altas e frias, principalmente no Sudeste e Sul. Prefere solos úmidos e regiões sombreadas nas matas.

Caranguejeira

A caranguejeira ou tarântula é uma aranha da família Theraphosidae que se caracteriza por ter patas longas com duas garras na ponta, e corpo revestido de pelos.
Apesar do tamanho e aspecto sinistro, as tarântulas não são perigosas para a espécie humana, uma vez que não produzem toxinas nocivas ao homem, por isso são eventualmente criadas como animais de estimação. Porém, uma de suas defesas são os pêlos urticantes de suas costas e abdômen, que irritam a pele do possível predador.